Para mais informações sobre canto gregoriano - conexões (links) recomendadas:

Se você deseja mais informações, ou tem interesse em participar de uma missa cantada em gregoriano, não deixe de verificar nos mosteiros ou sites abaixo!

Mosteiro de São Bento de São Paulo (Abadia de Nossa Senhora da Assunção), local onde estas gravações foram realizadas. Você pode conhecer a história do mosteiro, que já comemorou seus 400 anos de fundação, além de apreciar e conhecer detalhes sobre algumas das obras de arte sacra ali existentes; aproveite e conheça também o Colégio de São Bento. Veja também o "site" do Mosteiro de São Bento do Rio de Janeiro, com páginas de espiritualidade, doutrina e muitas outras conexões interessantes. Na Abadia de Nossa Senhora de São Bernardo, dos cistercienses de São José do Rio Pardo, no interior de São Paulo, você também pode participar da missa e vésperas, incluindo canto gregoriano (transmitido até pelo rádio). Em Minas Gerais encontra-se o Coral Gregoriano de Belo Horizonte, cuja página traz informações sobre o canto, dezenas de links para sites nacionais (incluindo outros corais) e estrangeiros, além de poder ouvir algumas faixas do CD do coral e obter informações do Curso de Canto Gregoriano.

Mosteiro de São Pedro de Solesmes, na França (em francês e em inglês). Solesmes é, entre outras coisas, um grande centro de estudo e difusão do canto gregoriano. Neste site há ainda informações sobre diversos livros e discos de canto gregoriano. Os CDs e cassetes de canto gregoriano de Solesmes podem ser encontrados nas Edições Paulinas ou na Paulus de sua cidade, ou em seu representante!

Para acompanhar estes cantos pelas partituras, uma explicação sobre a "notação quadrada" (por causa do formato das notas) é uma boa ajuda. Em inglês, mas há ilustrações comparando a notação quadrada com a partitura moderna (pentagrama). Antes porém de surgirem as partituras havia outras notações, empregradas para ajudar a memória dos cantores - pois os cantos eram aprendidos de memória, ao longo de anos - como se pode ver em português - no site "Plainchant Homepage" de Willy Schuyesmans (procure em "the music" e depois em "the neumes" - também disponível em versão francesa). Neste bonito site você ainda encontra um resumo da história do canto gregoriano, e muitas outras informações interessantes. O interesse por estas notações antigas, ditas paleográficas, é coisa de difusão relativamente recente, graças principalmente às importantes descobertas de Dom Eugène Cardine, osb; o estudo destas notações (semiologia) permite que se cante o gregoriano como em suas origens, pois elas trazem nuances e sutilezas que foram perdidas na notação quadrada... Conhecendo um pouco a história do Canto Gregoriano, assim como de ordens religiosas bastante antigas, não é de se estranhar o aparecimento de cantos diferentes do gregoriano "autêntico"; isto pode ser entendido vendo a página "Norbertine Gregorian Chant", que resume a história dos cantos (gregoriano e norbertino), seu valor litúrgico e a restauração do canto permitida pelo estudo dos neumas. Richard Lee tem uma página com muitos links sobre canto gregoriano, vale a pena conferir seu conteúdo, em inglês. POr fim, uma outra página com diversos links interessantes é a "The Gregorian Chant Home Page" criada por Peter Jeffery, provavelmente uma das primeiras páginas dedicadas ao canto disponíveis na rede.

Para conhecer um pouco mais a respeito da liturgia, tanto do rito de São Pio V (Tridentina) quanto do Papa Paulo VI (Novus Ordo), veja as informações disponíveis em "The Catholic Liturgical Library" (em inglês). Há aí um comentário muito interessante sobre a participação dos fiés na Missa - o que inclui o cantar nos momentos assim determinados.

Aos interessados (e eventualmente participantes) nas celebrações tridentinas, no entanto, muita cautela, pois os promotores das Missas Tridentinas que estão ligados à "Fraternidade Sacerdotal São Pio X" (em francês Fraternité Sacerdotale Saint Pie X, FSSPX), seguidores de Marcel Lefebvre, são cismáticos, não obstante o que eles digam ou procurem apresentar em contrário! A respeito deste cisma, vejam o texto da carta Ecclesia Dei e informações complementares no site oficial do Vaticano, e um primeiro artigo sobre Lefebvre e seu cisma. Com grande alegria, desde o dia 18 de janeiro de 2002, acabou o cisma da ex-União Sacerdotal São João Batista Maria Vianney, agora Administração Apostólica Pessoal S. João Maria Vianney, que retorna à comunhão eclesial após 20 anos de separação - porém reitero o pedido de atenção, pois ainda há capelas e mosteiros ligados à "Fraternidade Sacerdotal São Pio X", cismática, fundada por Lefebvre. Mais esclarecimentos neste site e links para informações em outros sites virão oportunamente; enquanto isso, lembremo-nos das palavras de Jesus em Mt. 16, 18.19: "Pois eu te digo que tu és Pedro e sobre esta pedra construirei minha igreja, e o império da morte não a vencerá. A ti darei as chaves do reino de Deus: o que atares na terra ficará atado no céu; o que desatares na terra dicará desatado no céu" e do "apascenta as minhas ovelhas" (Jo. 21,16), e rezemos para que todas as ovelhas desgarradas do rebanho possam voltar o quanto antes ao redil do Mestre, sob a tutela do sucessor de Pedro. Seja esta nossa Fé, nossa fidelidade a Cristo e à Igreja que ele assim quis fundar. Não se confunda a FSSPX, cismática, com a FSSP, Fraternitas Sacerdotalis Sancti Petri, ou Fraternidade Sacerdotal São Pedro, pois esta última não é cismática, apesar de a sigla ser parecida e poder causar confusão.

Alguns sites dos mais diversos países têm cópias ou têm links para alguns dos cantos que estão neste site. Um deles, dedicado à Idade Média, é o "The Middle Ages Online", aonde há uma breve página falando da música naquele período. 

Voltar à página inicial.

atualização: 25/3/2005 (anterior: 2/3/2005 )